De Basic a Ruby – 2

Quem quiser matar a saudade do tempo do TK-2000 da microdigital basta acessar o site do emulador dele (http://tk2000.sourceforge.net/). Procure por Downloads e Binary na página. Baixe o arquivo chamado TK2000.jar e o execute. A tela do jogo Karateka é nostalgia pura!

 

Tela de abertura de Karateka
Tela de abertura de Karateka
Exemplo de programa em BASIC
Programa em BASIC

Ao ligar o TK-2000 o usuário se deparava com um símbolo > (maior que). Esse símbolo, chamado de prompt, sinalizava que o computador estava pronto para receber os comandos do usuário. Tais comandos podiam ser comandos diretos ou em linhas numeradas. Os diretos seriam executados imediatamente enquanto os em linhas numeradas ficavam armazenados na memória para serem executados em sequência quando o usuário digitasse o comando RUN.

Programa em Basic sendo executado
Programa em Basic sendo executado

Havia ainda um comando chamado LM. Quando executado, o LM fazia com que o prompt mudasse do símbolo > para @ (arroba) e o computador agora passava a entender os comandos do assembly do TK-2000 e não mais os do BASIC.

No próximo post continuaremos respondendo a pergunta “Para onde foi o BASIC no meu computador atual?”.

2 respostas para “De Basic a Ruby – 2”

  1. Sinto-me de volta ao final dos anos 80 e início dos anos 90. Imaginar que hoje a gente tem tudo de mão beijada nos aplicativos e de forma intuitiva.

  2. Passou um filme em minha mente lembrando do TK 2000. Lembranças boas dos irmãos reunidos em volta dele (com diversão e “brigas”) ou na maior parte Jr. tentando programar! 🙂 Ao olhar esta tela do Karateka… bateu um saudosismo daquela época. Rapaz…!

Deixe uma resposta